No Brasil, 42% das casas não têm acesso a computador e 33% não têm acesso à internet.
Para os alunos da rede pública estadual, a realidade não é muito diferente. Com a pandemia, muitos alunos não tinham as ferramentas necessárias para acompanhar as aulas do Centro de Mídias de São Paulo ou para usar os vários aplicativos fornecidos gratuitamente pela Secretaria.

Pensando nos novos desafios da rotina escolar, a Parceiros da Educação, em parceria com outras organizações, criou
o Projeto Tablets nas Escolas!

Para o projeto foram selecionadas 121 escolas das regionais de ensino Sul 1 e Sul 2, situadas em bairros da periferia da capital com grande vulnerabilidade socioeconômica, e mais 32 escolas de outras regionais de ensino espalhadas pelo Estado e apoiadas diretamente pela Parceiros da Educação.

RESPOSABILIDADES | O PAPEL DE CADA UM NO PROJETO

1. Gestor do Projeto: Parceiros da Educação
– Captação dos recursos
– Desenho do projeto
– Relação entre os participantes
– Monitoramento

2. Operação: Parceiros
– Fornecimento dos Tablets
– Garantia de estoque
– Realização e monitoramento das entregas

3. Intermediador: Escolas
– Seleção dos alunos
– Entrega e coleta dos
– Tablets aos alunos
– Acompanhamento bimestral

4. Público-Alvo: Alunos
– Estudo através dos Tablets
– Participação nas atividades escolares
– Cuidados com o Tablet

GARANTINDO EFETIVIDADE

O papel da equipe gestora das escolas:

Os diretores são peças fundamentais na realização do projeto. Com base na quantidade de tablets disponíveis para cada escola, eles fizeram a seleção dos alunos aptos a participar do projeto, configuraram os aparelhos conforme os manuais orientadores elaborados pela Parceiros, fizeram a distribuição e coletaram as assinaturas dos termos de empréstimo.

Além disso, também são responsáveis por
acompanhar o rendimento dos alunos contemplados durante os Conselhos de Classe. Caso o aluno não esteja acompanhando as atividades, o tablet é recolhido e disponibilizado para outro aluno nos mesmos termos. Decorrido o prazo de 1 ano do empréstimo, a escola, a seu exclusivo critério, poderá doar o equipamento aos alunos que estiverem de fato os utilizando com fins pedagógicos.

RESULTADOS

Até agora, o projeto já doou mais de 10mil tablets à 153 escolas da rede pública estadual!

O recurso arrecadado foi suficiente para atender 8% do número de alunos das escolas selecionadas e, apesar de ser um número expressivo, ainda estamos longe da demanda.

30% dos tablets doados contavam com conexão via wifi e os outros 70% foram equipados com chips de dados com créditos para um ano e possibilidade de recarga!

Além do uso dos aparelhos no contexto de isolamento social, os aparelhos também servirão para uso educacional no contexto de ensino híbrido para a recuperação da habilidades no período de volta às aulas.

DESAFIOS E APRENDIZADOS

Durante o projeto tivemos um grande desafio para distribuir os tablets nas escolas, pois as fábricas de eletrônicos estavam enfrentando problemas de abastecimento de componentes e insumos. Assim, tivemos que dividir nossas entregas em 3 etapas durante 6 meses.

Além disso, após alguns meses de projeto, pudemos constatar que os tablets modelo 3G são os que melhor atendem as necessidades dos alunos, já que muitos não possuem conectividade em casa e precisam usar os tablets modelo wi-fi dentro da escola. Apesar de terem um custo mais alto, para o futuro do projeto, focaremos os recursos na compra de tablets 3G já equipados com chip de internet.

Para colaborar com os nossos projetos, doe para a Parceiros da Educação clicando aqui!